embalagem plástica rígida – Groupack

A importância das embalagens para alimentos

As embalagens para alimentos têm como principais funções, conter, proteger e conservar o produto. Além disso, mantêm a qualidade e segurança, atuando como barreira a contaminações químicas, físicas e microbiológicas que possam colocar em risco a saúde do consumidor.

Atualmente, a maioria das embalagens para alimentos é produzida por materiais plásticos, devido às suas características de flexibilidade, leveza, atoxidade e baixo custo.

Para garantir a segurança do consumidor, todas as embalagens e equipamentos que estejam em contato direto com alimentos devem ser fabricados em conformidade com a legislação nacional.

No Brasil, o atual sistema de legislação foi internalizado na forma de Portarias e Resoluções pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) do Ministério da Saúde. Cada tipo de embalagem tem definido as legislações específicas aplicáveis, sendo que estas foram derivadas das Resoluções do MERCOSUL – Mercado Comum do Sul. Alguns exemplos para potes e baldes plásticos injetados:

Resolução nº 105, de 19 de maio de 1999: Aprova o Regulamento Técnico “Disposições Gerais para Embalagens e Equipamentos Plásticos em contato com Alimentos”.

Resolução RDC nº 51, de 26 de novembro de 2010: Dispõe sobre migração em materiais, embalagens e equipamentos plásticos destinados a entrar em contato com alimentos.

Resolução RDC nº 52, de 26 de novembro de 2010: Dispõe sobre corantes em embalagens e equipamentos plásticos destinados a estar em contato com alimentos.

Resolução RDC nº 56, de 16 de novembro de 2012: Dispõe sobre a lista positiva de monômeros, outras substâncias iniciadoras e polímeros autorizados para a elaboração de embalagens e equipamentos plásticos em contato com alimentos.

Resolução – RDC nº 17, de 12 de janeiro de 2008: Dispõe sobre Regulamento Técnico sobre Lista Positiva de Aditivos para Materiais Plásticos destinados à Elaboração de Embalagens e Equipamentos em Contato com Alimentos.

As embalagens em geral são isentas da obrigatoriedade de registro junto à ANVISA, o que não as desobriga de atender às exigências definidas nos regulamentos técnicos em vigor.  As empresas fabricantes de embalagens destinadas ao contato direto com alimentos devem estar devidamente licenciadas junto ao órgão de vigilância sanitária de sua localidade.

Obtenha a segurança para o seu produto.
Exija do seu fornecedor de embalagens para alimentos:
Laudos de ensaios de Migração Específica
Laudos de Migração de Listas Positivas
Alvará Sanitário e Certificados de Qualidade

Quais as vantagens da embalagem plástica rígida na produção de alimentos?

Baldes e potes plásticos são exemplos de embalagens que agregam valor ao produto final e destacam-se frente a outros tipos de materiais que vêm perdendo espaço

 

A competição na indústria de alimentos tem ficado acirrada ano a ano. Além dos hábitos dos consumidores que mudaram, o mercado busca incansavelmente por novas soluções para a cadeia de logística que reflitam um melhor custo-benefício. Uma constante no cenário tem sido a busca por melhores embalagens, com a unanimidade convergindo para a adoção de embalagem plástica rígida, que consegue unir diferentes benefícios, priorizando tanto eficácia e sustentabilidade.

As embalagens são constantemente motivos de discussões quando o assunto é proteção e conservação, porém não podemos esquecer o poder de vendas que elas carregam. Cada rótulo de um balde ou pote possui um papel a desempenhar nas gôndolas de supermercados ao procurarem destacar-se frente a inúmeras outras e assim realizar uma espécie de marketing curto — de segundos — para atrair o consumidor.

Alguns dos itens fundamentais para se ter como critérios e assim não errar na escolha:

  • Potencial comunicativo
  • Manuseio 
  • Armazenamento
  • Durabilidade
  • Estética
  • Impacto ambiental

Viu que não se trata de pouco, não é? Portanto, saiba mais e veja quais as vantagens em se utilizar uma embalagem plástica rígida!

Maior proteção

Devido à larga espessura, a embalagem plástica rígida é uma das melhores opções em proteger o alimento. Quando comparada à embalagem flexível, que possui tamanho inferior a 250 micra de espessura, a rígida larga na frente ao propiciar uma maior segurança no armazenamento e durabilidade do material por conta do tamanho maior. Isto também dá garantias de confiança a quem for manusear o produto, pois lida com um material mais resistente diferente, por exemplo, de embalagens de vidro.

Quem trabalha no setor já deve estar acostumado com acidentes envolvendo perfurações e outros tipos de vazamentos ligados às embalagens. Lidar com uma matéria-prima rígida é um dos passos para garantir sucesso no transporte e empilhamento do produto, algo eficaz e que irá aliviar as preocupações de todo gerente.

Material asséptico

Um produto industrial limpo em contato com alimentos é um item essencial no planejamento de todos aqueles que trabalham no setor alimentício. As boas práticas de fabricação exigem atenção durante as etapas de processamento para que a segurança alimentar não fique comprometida. Ser leviano nesta parte pode resultar em danos irreparáveis ao consumidor e problemas jurídicos capazes de pôr fim à empresa.

Uma embalagem plástica rígida é elaborada com material virgem e atóxico, o que a assegura dentro do regramento da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). O documento procura deixar claro quais tipos de materiais podem entrar em contato diretamente com o alimento e o limite máximo de determinadas substâncias presentes nas embalagens. Tipos de embalagens que costumam sofrer com isso são as de alumínio que possuem uma maior incidência de corrosão e migração de substâncias do metal, além do encarecimento na produção por conta do peso do material.

Boa personalização

Baldes e potes podem ter seus rótulos facilmente personalizados por meio de serigrafia e de In Mold Label, técnica esta tida como a mais moderna que há no mercado para impressão de estampas, ao invés de adesivos comumente falhos na colagem e incapazes de permanecerem inteiros com o passar do tempo, sem falar na possibilidade tóxica que podem acarretar à embalagem. O processo de In Mold Label acaba sendo a melhor opção pela sua qualidade e por promover a sustentabilidade ao permitir a reciclagem integral, sem a preocupação de contaminação que ocorre no caso dos adesivos.

A sofisticação da técnica permite a escolha de inúmeras cores e, consequentemente, uma maior liberdade para o uso da criatividade no design do rótulo. Resistência ao atrito e a diferentes temperaturas também fazem desta uma escolha cada vez mais frequente para a embalagem plástica rígida e para o mercado no geral.

Valor sustentável

Um fato importante que vem ganhando destaque no mercado é a conscientização cada vez maior do consumidor perante hábitos sustentáveis e éticos das empresas que compõem a indústria de alimentos. A pesquisa Brasil Food Trends 2020 tem confirmado muitas de suas previsões para o mercado e aponta um relevante dado: 21% da amostra entrevistada afirma levar em conta a sustentabilidade praticada pelas empresas.

Diante do cenário que se forma, escolher uma embalagem potencialmente reciclável é uma estratégia cada vez mais obrigatória. A opção por uma embalagem plástica rígida pode levar a uma saída renovável e a um aumento do valor agregado do produto. Diferentemente, por exemplo, como ocorre com a embalagem cartonada que por ter várias camadas acaba dificultando o processo de reciclagem.

Tanto a reciclagem primária quanto a secundária são opções iniciais e menos complexas para o reaproveitamento de resíduos do material. Porém, é bom lembrar que quando falamos em embalagens de alimentos, dificilmente o material poderá ser reutilizado para este fim, portanto cabe aqui criatividade e capacidade de integração com outras áreas da empresa, que não as de P&D.

Uma embalagem plástica rígida acaba sendo a melhor opção em termos de custo-benefício para a indústria de alimentos. O apelo das características mecânicas mais a resistência a variações de temperaturas fazem desta uma escolha desde o início bastante sedutora. É seguro também falar que os ganhos com o potencial sustentável do material são grandes. Quase 30% do lixo mundial é originário de embalagens descartadas, ter a oportunidade de diminuir esse número é algo que não pode ser desprezado pelos players do mercado.

Gostou do artigo? Então vai lá e compartilha nas suas redes sociais!

e-book alimentos

Groupack, 2018. Webdesign e desenvolvimento: viniciusofp | Hineo Marketing